Liziane Bayer participa de debate sobre retorno seguro às aulas


A titular da Comissão de Educação da Câmara, deputada federal Liziane Bayer, participou nessa quinta-feira (29), da reunião da Subcomissão Especial do Retorno Seguro às Aulas para debater formas seguras de retomada das aulas presenciais.


Durante o encontro especialistas, das áreas da educação e saúde, trouxeram dados e explanaram ações voltadas à mitigação dos efeitos da prolongada suspensão das aulas presenciais, que afetam sobremaneira as famílias mais pobres. Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) mostram que mais de 888 milhões de crianças em todo o mundo continuam sendo afetadas por interrupções parciais ou totais das aulas.

Na ocasião Liziane destacou que a sociedade brasileira quer o retorno, e sabe da importância que isso tem para os estudantes e o futuro do país. “Não existe nada como o convívio com colegas e professores e a qualidade do aprendizado no ambiente escolar. Privar os jovens dessas redes de apoio pode gerar efeitos irreversíveis”, frisou. Pesquisas mostram que 30% das crianças em quarentena têm transtorno do estresse pós-traumático.

A parlamentar também enfatizou que muitas famílias não têm condições mínimas para que os alunos possam aprender em casa. “A atenção dada pelos professores e o acesso à merenda escolar também são muito importantes. Os efeitos de curto prazo das refeições perdidas incluem redução na imunidade. Mesmo períodos curtos de insegurança alimentar podem causar danos de longo prazo psicológicos, físicos, emocionais e de desenvolvimento”, alertou, enfatizando que a educação também é prioridade.


O encontro virtual contou com a presença da professora e pesquisadora da Escola Politécnica de Saúde da Fiocruz Anamaria D’Andrea Corbo; do professor de epidemiologia da Universidade de Brasília Wildo Navegantes de Araújo; do presidente do Comitê Gestor do Plano de Contingência da Covid (Coes); doutor em epidemiologia Wanderson Oliveira, ex-secretário de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde; do presidente-executiva da ONG Todos Pela Educação, Priscila Fonseca da Cruz; e do presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Marco Aurélio Palazzi Sáfadi.